Conhecer a Plataforma

FP&A Business Partnering: fortalecendo relações na hora da análise e planejamento


Business Partnering é uma expressão em inglês para uma tendência mais colaborativa ao FP&A que não rompe com o potencial analítico e de previsão de cenários, mas eleva o seu relacionamento com todo o time.

O objetivo é que a área estratégica de Planejamento e Análise Financeira integre-se aos demais departamentos e saiba conduzir suas apresentações em busca de mais engajamento, o que gera melhores resultados. 

Jens Frister, Carsten Veit e Matthew Cain, consultores internacionais em tecnologia e finanças, afirmam que o modelo de FP&A Business Partnering representa o elo que faltava para trazer mais agilidade organizacional.

“Hoje, o profissional que atua no FP&A pode sentar-se com os parceiros em uma sala ou virtualmente para ver o resultado previsto e recalibrar as rotas. A partir daí as ideias são combinadas e as decisões se tornam mais precisas e informadas em conjunto”, explicam os autores.

Continue a leitura e confira como a área de FP&A pode fortalecer as relações, avançando para o modelo Business Partnering, ou parceria de negócios, em português. 

3 princípios do FP&A Business Partnering

O modelo tradicional do FP&A tem o foco em análise de números históricos, relatório financeiro, planejamento anual e definição de cenários. 

A partir da sintetização dos dados, o escopo do FP&A Business Partnering é ampliado, inserindo os clientes internos e externos em uma atuação estratégica que busca mais produtividade e crescimento.

De maneira proativa, as lideranças do FP&A Business Partnering devem motivar as equipes a atender às necessidades do negócio. A seguir estão os três princípios para a adaptação de Planejamento e Análise financeira ao novo modelo.

1. Soft skills e perfil influenciador

Os profissionais de FP&A que buscam avançar no Business Partnering devem desenvolver habilidades sociais, conhecidas pelo termo em inglês soft skills

Essas características comportamentais muitas vezes exigem que o gestor das finanças saia da sua zona de conforto e se dedique ao aprendizado de conhecimentos além de números e outras formações técnicas.

O Fórum Econômico Mundial, no relatório “The Future of Jobs”, reforça a necessidade de requalificar e aprimorar as habilidades para haver prosperidade econômica. As soft skills elevam a competitividade do trabalhador e o orientam para oportunidades futuras.

Criatividade, originalidade, iniciativa, liderança, influência social, inteligência emocional, resiliência, tolerância ao estresse, flexibilidade e orientação à solução estão entre as dez habilidades com alta demanda em organizações brasileiras, identificadas pelo Fórum Econômico Mundial. 

O Business Partnering Institute organiza por meio desse infográfico as habilidades necessárias para que a área de FP&A esteja voltada à parceria de negócios.

Effective Learning
Fonte:“Finance Business Partnering: do custo ao centro de lucro

As equipes de FP&A Business Partnering devem desenvolver inteligência emocional e aprimorar técnicas de influência para aprimorar as relações. Estabelecer um ambiente de confiança e colaboração contribui para o avanço das habilidades interpessoais. 

2. Storytelling em finanças

Simon Alexander, diretor da FedEx Express, em artigo publicado no site FP&A Trends, explica que “os dados são a parte preliminar das análises financeiras, mas que eles precisam ser conduzidos por uma narrativa que os façam ser interpretados corretamente”.

Storytelling e FP&A Business Partnering
Fonte: “Becoming a Great FP&A Storyteller

Os elementos visuais como gráficos, animações, apresentações e outros recursos acrescentam valor na hora de explicar os números e a performance da organização.  

Como a figura mostra, os dados juntos à narrativa e o apelo estético ajudam a explicar um contexto financeiro com mais clareza, estimulando todo o time para o alcance dos objetivos. 

Sendo assim, o FP&A Business Partnering pode se valer das técnicas de storytelling para ter uma melhor argumentação entre os seus pares e a equipe de cada um deles, convencendo-os no engajamento e alcance das metas.

3. Cultura ágil

A consultoria Delloite, em conteúdo publicado no Wall Street Journal, afirma que o aprendizado contínuo e a agilidade são necessários aos gestores financeiros que atuam em um cenário cada vez mais analítico e digital.

Programas pilotos, pequenos ajustes, aprendizados rápidos, arranjos de trabalho e soluções flexíveis estão no escopo de uma cultura de agilidade aplicada às finanças. 

O FP&A Business Partnering ao incorporar essa cultura busca uma adaptação frente às mudanças. O modelo não se prende ao que deu errado, mas sim a uma evolução rápida e o envolvimento do time para a busca de melhores resultados. 

Amrish Shah, head da área de FP&A no Endemol Shine Group, elenca os benefícios que a agilidade traz para as empresas:

  • Alinhamento e comprometimento estratégico;
  • Empoderamento dos times; 
  • Ciclos rápidos, constantes feedbacks e aprendizado;
  • Alocação dinâmica e flexível do time visando o comprometimento e motivação; 
  • A tecnologia à serviço da liderança e do alcance dos objetivos.

A rápida consolidação dos dados por meio de plataformas tecnológicas contribui para que o profissional de FP&A seja mais ágil. Assim, ele pode visualizar todas as informações da empresa, conectar os pontos e  perceber melhor as tendências.

Com posicionamentos menos intuitivos, devido às análises das informações, os times de planejamento são mais transparentes e têm mais chances de acertos em suas previsões, o que gera confiabilidade, aprimorando a atuação do FP&A Business Partnering.

Considerações sobre o FP&A Business Partnering

A transformação digital e as recentes instabilidades na economia reforçaram uma adaptação do FP&A tradicional do ponto de vista de integração com outras áreas e capacidade de operação.

Anders Liu-Lindberg, da Association for Financial Professional, explica que o modelo de FP&A Business Partnering permite que a área não se limite à função financeira, principalmente à redução de custos, e isso pode gerar impressões para o negócio com foco no lucro.

Com a combinação das habilidades analíticas, tecnológicas e comportamentais, os profissionais de FP&A Business Partnering fortalecem o relacionamento e respondem, de maneira ágil,  às mudanças sem deixar de atentar-se à gestão orçamentária e aos desafios futuros. 

 



Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *